“O meu filho deve tomar o remédio das bichas?”

Ainda há muitos pais ou encarregados que procuram dar o vulgarmente designado “remédio das bichas” às crianças. Fique a saber o que se recomenda atualmente.

O que são as “bichas”? Quais os sintomas?

O termo correto é parasitose intestinal, uma doença provocada por parasitas que se alojam no intestino (Giardia lamblia é o mais frequente em Portugal). A pessoa contaminada pode ou não apresentar sintomas e quando apresenta são geralmente bem tolerados em pessoas saudáveis (diarreia, vómitos e dor abdominal). Os sintomas podem variar consoante o parasita em questão (clique aqui para consultar a tabela da DGS).

Como se transmite?

Pela ingestão de água ou alimentos contaminados por parasitas. Assim, deve evitar o consumo de água não analisada e/ou tratada (água do poço, fontanários, etc.) e preferir água engarrafada ou água da “companhia”. A carne ou peixe devem ser bem cozinhados ou previamente congelados (os parasitas não sobrevivem a temperaturas altas ou baixas). Os legumes, vegetais e frutas que coma com casca devem ser bem lavados com água corrente. Atenção ao sushi e sashimi que, sendo peixe cru, tem maior risco de contaminação (no Estados Unidos da América tem-se verificado um aumento de casos contaminados por consumo de sushi e sashimi). Prefira espaços comerciais de confiança e devidamente controlados.

Porque preocupa mais nas crianças?

As crianças colocam a mão em todo o lado (terra, animais, etc.) e dificilmente lavam as mãos após o contacto com uma superfície contaminada. A juntar a isto está o facto de terem menos defesas que os adultos pelo que estão mais suscetíveis à contaminação por estes parasitas.

Faz-se rastreio da parasitose intestinal às crianças? Devo dar o “remédio das bichas” ao meu filho?

Não se faz rastreio de parasitose intestinal e já não se recomenda medicar para prevenir o seu aparecimento, ou seja, já não se toma o “remédio das bichas” só porque sim. Portugal tem uma baixa prevalência de parasitose intestinal e viu a sua população melhorar nas suas condições higieno-dietéticas pelo que o risco de contaminação é baixo. Tomar o “remédio das bichas” indiscriminadamente pode aumentar a sua resistência e no futuro tirar-lhes eficácia.

Se suspeitar que o sei filho possa ter esta parasitose deve recorrer ao seu médico de família que, se considerar oportuno, poderá requisitar análises às fezes para excluir ou confirmar a doença e, se for o caso, direcionar o tratamento ao parasita em questão.

Perante a melhoria das condições de higiene e a baixa prevalência de parasitose intestinal em Portugal, o “remédio das bichas” já não é recomendado para prevenir a doença. Dar o “remédio das bichas” indiscriminadamente pode aumentar a sua resistência e no futuro tirar-lhes eficácia. Na suspeita de parasitose, deve recorrer ao médico de família para realizar análise às fezes a fim de excluir ou confirmar a doença e se for o caso direcionar o tratamento ao parasita em questão.

Deixe uma resposta