Vacinas extra para todas as idades. Saiba quais são!

O Plano Nacional de Vacinação foi revisto em 2017 e inclui vacinas acessíveis e gratuitas a toda a população. No entanto, existem outras vacinas para outras doenças que podem ser adquiridas com ou sem comparticipação e que oferecem uma proteção extra.

Para complementar informação relativa à vacinação em idade pediátrica recomendo a leitura de dois artigos:

  • O blog  “A Mãe e os 3 P’s” tem um artigo muito interessante sobre vacinas na idade pediátrica, recomendo a sua leitura (clique neste link)
  • Artigo da autoria do Dr. Hugo Rodrigues na revista Visão (clique aqui)

Apenas algumas notas complementares:

  • A vacina da Gastroenterite só pode ser administrada às crianças com limite de idade consoante a vacina que pretende. Não é injetável mas sim bebível devendo ser administrada igualmente por um profissional de saúde de preferência no centro de saúde.
  • A vacina da Gripe é variável já que novas vão sendo criadas anualmente com vista ao combate contra novas estirpes víricas. Não compre a mais para usar no ano seguinte!
  • A Hepatite A é uma doença geralmente pouco preocupante no entanto os casos têm aumentado em Portugal da mesma forma que noutros países europeus. É transmitida pela ingestão de água ou alimentos contaminados, por sexo anal e oroanal e por vezes por contacto direto.
  • O HPV (Vírus Papiloma Humano) é contraído por via sexual e é responsável por tumores benignos e malignos quer em homens quer em mulheres, razão pela qual se aconselha a vacina a ambos os géneros. O HPV tipo 16 e 18 são os principais responsáveis pelo cancro do colo do útero, razão pela qual ao optar pela vacina Cervarix (comparticipada) estará igualmente protegida, no entanto a Gardasil aumenta o leque de proteção ao incluir outros 7 tipos de vírus igualmente causadores de doença. O plano nacional de vacinação já inclui esta vacina às meninas aos 10 anos de idade com 2 doses.
  • A vacina contra a Meningite A, C, W e Y  é talvez das mais recentes. Surgiu na necessidade de combater o aumento rápido de Meningite W nalguns países europeus e Arábia Saudita. Segundo a Sociedade Portuguesa de Pediatria “Em Portugal, de 2010 a 2014 houve 2 casos de doença invasiva causada pelo grupo W (em 2012 e 2013) e 21 grupo pelo Y (0-10-4-3-4, respetivamente).”.
  • A vacina Prevenar 13 é recomendada e por vezes gratuita (consulte aqui a tabela da DGS) e protege contra a pneumonia causada pelo S. pneumoniae na criança e no adulto e contra a otite média aguda na criança provocada pela mesma bactéria.
  • A Varicela é normalmente benigna sendo mais grave na adolescência, no adulto e em imunodeprimidos. Recomenda-se a vacinação a partir da adolescência e em crianças que contactam com imunodeprimidos se ainda não tiverem contraído a doença já que as complicações decorrentes da varicela nestes indivíduos podem ser maiores.
  • A Zona surge nas pessoas que já contraíram a varicela já que é provocada pelo mesmo vírus (Herpes zoster). Vacinar contra a varicela não o protege contra a Zona. Este vírus, adormecido num determinado nervo do corpo, “acorda” causando comichão, dor (por vezes intensa) e lesões (tipo bolhas que passam a crostas) na região do nervo (muitas vezes nas costas).

NÃO SE ESQUEÇA – AO ADMINISTRAR UMA VACINA NO CENTRO DE SAÚDE, QUALQUER ELA QUE SEJA, FICA REGISTADA NO SEU PROCESSO CLÍNICO E BOLETIM DE VACINAS EM PAPEL E DIGITAL.

SAIBA MAIS

DGS – Hepatite A

DGS – Vacinação

Recomendações Sociedade Portuguesa de Pediatria

NIH – HPV and Cancer

Deixe uma resposta