“Cheque-dentista? Também tenho direito?”

A saúde oral é hoje uma prioridade dadas as implicações decorrentes da má higiene, hábitos e estilos de vida e alterações gengivais e dentárias. O cheque-dentista é parte do Programa Nacional de Promoção de Saúde Oral (PNPSO).

O que é um cheque-dentista?

O cheque-dentista dá direito a uma consulta no médico dentista ou estomatologista com o objetivo de diagnosticar, tratar e prevenir lesões como cáries ou alterações suspeitas de cancro. Integra o Programa Nacional de Promoção de Saúde Oral (PNPSO).

Quem tem direito?

GRÁVIDAS

Até 3 cheques por gravidez

IDOSOS

Aos beneficiários do complemento solidário para idosos até 2 cheques num período de 12 meses

CRIANÇAS E JOVENS

Alunos de escolas da rede pública ou IPSS

  • Entregues na escola
    • 7 e 10 anos – até 2 cheques por ano letivo
    • 13 anos – até 3 cheques pos ano letivo
    • 15 anos – 1 cheque, se cumpriu com o plano anterior
  • Emitidos pelo Médico de Família
    • 8, 9, 11, 12, 14 e 15 anos – 1 cheque por ano letivo se suspeita de cáries
    • 7, 10 e 13 anos – aos portadores de doença mental, paralisia cerebral, trissomia 21, entre outras, que não tenham sido abrangidos pelo programa. Se doente pouco colaborante com necessidade de sedação para tratamento dentário poderá ser referenciado a uma consulta hospitalar.
    • 18 anos – 1 cheque se concluído o tratamento anterior
    • “Às crianças com idade igual ou inferior a 6 anos com situações de considerável gravidade ponderadas por critérios de dor e de grau de infeção em dentes temporários, pode ser atribuído um cheque-dentista por ano”.

PORTADORES DE VIH

Até 6 cheques iniciais. Passados 24 meses do último tratamento – até 2 cheques a cada 24 meses.

SUSPEITA DE LESÕES MALIGNAS

Até 2 cheques-diagnóstico e 2 cheques-biópsia por ano em doentes com “lesões malignas ou potencialmente malignas, detetadas pelo médico de família no seguimento de queixa pelo utente ou referidas por médico estomatologista ou médico dentista.”

Como posso pedir?

Se está abrangido pelo PNPSO, deve procurar o seu Médico de Família ou aguardar pela emissão do cheque no caso das crianças e jovens em escolas públicas ou IPSS.

Uma vez emitido, por exemplo, no caso das grávidas, não é necessário pedir os restantes cheques sendo que o local onde utilizar o 1º cheque automaticamente emitirá os seguintes.

Posso usar o cheque no meu dentista?

Os cheques apenas podem ser usados nos locais convencionados.

Pode consultar aqui os locais convencionados

Que tratamentos inclui este cheque?

Este cheque inclui tratamentos preventivos, restaurações, desvitalizações, extrações, destartarizações e alisamentos radiculares. Conforme a sua situação clínica, nem todos os tratamentos poderão estar incluídos.

Posso trocar este cheque por dinheiro ou juntar a algum tratamento não incluído no mesmo?

Este cheque não é convertível em dinheiro nem pode ser usado para complementar o pagamento de um tratamento não incluído nas condições do cheque.

O meu médico de família não conseguiu passar o cheque-dentista!

Existem 4 razões para tal ter acontecido: o utente não se encontra abrangido pelo programa nacional de promoção de saúde oral (PNPSO); já lhe foi emitido um cheque dentista que ainda se encontra válido; foi ultrapassado o limite de cheques contratados pelo Ministério da Saúde para esse ano; o sistema informático não funcionou nesse dia.

 

O cheque-dentista tem como objetivo prevenir, diagnosticar e tratar lesões da cavidade oral. É um serviço público e integra o Programa Nacional de Promoção de Saúde Oral (PNPSO). Grávidas, crianças, idosos, portadores de VIH e doentes com suspeita de lesões malignas são algumas das pessoas que têm direito ao cheque-dentista. O seu Médico de Família é o principal intermediário deste programa pelo em caso de dúvida agende consulta.

 

SAIBA MAIS…

https://www.sns.gov.pt/sns-saude-mais/saude-oral/

Deixe uma resposta