Rastreio do cancro da próstata?

É frequente o homem solicitar ao seu médico a “análise da próstata”, com o intuito de rastrear o cancro da próstata.

Ora, ao contrário do rastreio do cancro da mama, não existe um rastreio populacional do cancro da próstata.

Passo a explicar resumidamente porquê: um rastreio populacional tem, como objetivo, selecionar as pessoas com maior risco de doença, pessoas estas que devem ser sujeitas a outros exames para confirmar ou não a doença e posteriormente serem orientadas.

Ora, a análise da próstata, designado por PSA, não é propriamente uma análise de confiança. Isto porque, se por um lado há muitos homens com PSA alto sem cancro, por outro, há homens com PSA normal com cancro. O que quer dizer que, caso solicite esta análise e o PSA estiver aumentado, sofre o risco de se sujeitar a biópsias e cirurgias (com possíveis complicações) sem qualquer necessidade. Como também pode acontecer o contrário, ou seja, poderá apresentar um valor de PSA normal quando, na verdade, poderá ser portador de cancro da próstata. 

Esta informação não pretende abolir esta análise. A PSA continua a ser útil, mas deve ser considerada caso a caso, discutindo com o seu médico tendo em conta vários factores, como por exemplo a presença de cancro da próstata em familiares diretos.

Deixe uma resposta