Atenção ao (ab)uso dos anti-inflamatórios!

Os anti-inflamatórios (ex: ibuprofeno, diclofenac, naproxeno, etc) são frequentemente utilizados para controlar a dor, seja ela recente (aguda) ou de longa data (crónica). O uso prolongado destes medicamentos deve ser evitado, exceto algumas situações selecionadas pelo médico. São vários os efeitos secundários, alguns deles graves. Tomar estes medicamentos dia sim dia não é um começo para passar a toma-los diariamente. Se tal estiver a acontecer consigo, fale com o seu médico uma vez que poderá necessitar de um controlo da dor com outros medicamentos mais adequados.

Quando devem ser tomados?

Para a dor, preferir em primeiro lugar o paracetamol. Se não resultar e se não estiver contraindicado, poderá tomar um anti-inflamatório (ex: ibuprofeno ou naproxeno) em dose baixa e num curto espaço de tempo (2 a 4 semanas).

Se não melhorar, aconselhe-se junto do seu médico quanto ao melhor medicamento a tomar.

É sempre necessário associar um “protetor do estômago”?

Não. Aconselha-se o uso de protetores gástricos (ex: omeprazol) aos doentes com 65 ou mais anos, pessoas com história de úlcera do estômago ou duodeno ou história de queixas na toma de anti-inflamatórios e a quem toma aspirina (ácido acetilsalicílico), anticoagulantes (ex: varfarina, sintrom, etc) ou corticoides.

Principais efeitos secundários.

Dores no estômago e sintomas de refluxo (azia, ardor no peito, etc);

Úlceras no estômago e duodeno;

Hemorragia intestinal;

Problemas nos rins e fígado;

Aumento da pressão arterial.

Atenção a quem toma aspirina ou semelhantes (ácido acetilsalicílico)!

A aspirina também é um anti-inflamatório não esteroide, pelo que ao tomar um segundo estará a aumentar e potenciar os seus efeitos secundários! Aconselhe-se junto do seu médico sobre as medidas a tomar.

Deixe uma resposta