Insuficiência cardíaca: “Os corações dos mais novos também falham”

Artigo da autoria do autor deste blogue, publicado no Diário de Notícias, que sensibiliza para a existência de Insuficiência Cardíaca

“HISTÓRIAS DE QUEM TRATA E DE QUEM SOFRE DE IC

Aos 65 anos, Almerinda Gonçalves descobriu a insuficiência cardíaca; demorou a aceitar o diagnóstico e o tratamento, mas o m dico de família diz ser uma reação recorrente na sua idade, quando os doentes ainda não esperam estas patologias.”

Artigo na íntegra aqui.

“Ele ressona tanto! Por vezes deixa de respirar”

Alguma vez lhe disseram que ressona muito e que por vezes até parece que deixa de respirar? Pois bem, pode ter síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS). 

O que é o SAOS?

A apneia obstrutiva do sono é uma doença do sono, mais frequente nos homens. Causa paragens da respiração durante o sono. 

O oxigénio entra pela via respiratória e serve de alimento aos vários órgãos do corpo (coração, cérebro…). Quando paramos de respirar, deixa de entrar oxigénio. As pessoas com SAOS sofrem estas paragens respiratórias durante a noite pelo que o cérebro não recebe oxigénio suficiente para recuperar a energia que perdeu enquanto estava desperto. É por isso que quem sofre de apneia do sono tem durante o dia dor de cabeça, sonolência, irritabilidade entre outros sintomas. 

Quando suspeitar de SAOS?

A suspeita de SAOS começa quando o/a companheiro(a) de quarto refere que a pessoa ressona muito e aparenta deixar de respirar por alguns segundos.

Pode preencher este questionário que calcula a probabilidade de ter SAOS.

Que exame devo fazer?  

A polissonografia do sono é o exame atualmente utilizado para confirmar a doença. Consiste num aparelho com o qual deve dormir uma noite. Pode ser utilizado em sua casa. É feita a leitura do seu sono afim de concluir se fez ou não paragens respiratórias e como estava o seu oxigénio. Apenas comparticipado se realizado através de uma consulta num hospital. 

Tem tratamento?

Primeiro é necessário esclarecer o motivo pelo qual que tem SAOS. O objetivo passará por reverter esse mesmo motivo. 

Caso não seja possível reverte o motivo do SAOS, o tratamento passa pelo uso de um aparelho (CPAP) durante o sono que no fundo consiste em aumentar a pressão nas vias respiratórias evitando que elas se estreitem permitindo a passagem correta do ar. 

Confirmei que tenho SAOS, e agora?

Deve: 

  • Deixar de fumar
  • Não beber álcool
  • Não pode tomar medicamentos para dormir. Ao aumentar a sonolência não vai permitir que desperte caso deixe de respirar pelo que a toma desses medicamentos pode agravar a doença
  • Controlar o peso
  • Elevar a cabeceira da cama e não dormir de barriga para cima. Para evitar esta posição pode amarrar uma almofada às costas ou até mesmo uma bola (de ténis por exemplo), assim sempre que se virar vai sentir o obstáculo e colocar-se de novo em posição lateral. 

Consultar um pneumologista para eventual prescrição de um aparelho (CPAP) para uso durante o sono. 

“Dr, devo ter a tiróide”

É muito frequente ouvirmos os doentes a afirmarem “Dr, devo ter a tiróide”

Na verdade, todos temos tiróide, exceto quando nos foi removida por cirurgia (tiroidectomia). É habitual associar-se o aumento de peso a problemas de tiróide. “Estou a engordar muito, deve ser da tiróide”. Há vários motivos para o aumento de peso e o principal não se deve à tiróide mas sim aos hábitos de vida desadequados. Para além disso, à medida que vamos envelhecendo, o metabolismo torna-se mais “lento”, sendo maior a tendência para o aumento de peso. Se não formos adequando a nossa alimentação e exercício físico ao nosso estilo de vida, é expectável que aumentamos de peso. É como uma balança onde temos de um lado o que comemos e do outro o que gastamos. Se ingerirmos mais calorias do que gastamos, espera-se que aumentamos de peso progressivamente.

Quanto à patologia da tiróide, temos duas formas principais: hipotiroidismo e hipertiroidismo. Hipo vem de pouco e hiper de muito, logo hipotiroidismo significa que a tiróide funciona pouco e hipertirodismo que a tiróide funciona demais. A forma mais frequente é o hipotiroidismo, sendo mais prevalente nas mulheres. Neste caso, o aumento de peso é efetivamente uma das consequências, mas não a única. Também provova alterações do humor (estado mais depressivo), enfraquecimento do cabelo e das unhas, entre outros. No período da menopausa também podem ocorrer estas alterações, daí que as mulheres também confundam com o hipotiroidismo.

Não se recomenda rastreio à patologia da tiróide. Deve ser avaliar caso a caso, sendo poucas as situações em que é necessário realizar análises ou ecografia à tiroide.

Aconselhe-se junto do seu médico de família.