Blog com informação médica confiável para uma comunidade mais saudável e consciente. Saber Mais

Posso ajudar a manter-se atualizado sobre a saúde.

Receba gratuitamente dicas e conselhos de um médico de família

O antibiótico corta o efeito da pílula?

Contrariando a crença popular, a maioria dos antibióticos não compromete a eficácia da pílula contracetiva comum.

Ao contrário do que todos acham, a maioria dos antibióticos não afeta o efeito contracetivo da pílula comum (contracetivo oral combinado). Antibióticos usados por exemplo para infeções respiratórias, amigdalites, infeções urinárias e infeções da pele são os que me mais levam a mulher (e o homem) a ficar preocupada com o efeito que possa ter sobre a pílula. Dos poucos antibióticos que pode afetar o contracetivo é a rifampicina, usado por exemplo no tratamento da tuberculose.

Pontos importantes sobre o uso da pílula contracetiva

  • O contracetivo oral combinado (“pílula”) não é 100% eficaz na proteção contra a gravidez;
  • O mais importante é ser-se rigorosa na toma da pílula;
  • Caso se esqueça de 2 ou mais tomas, deve usar contraceção de barreira (preservativo) até ao final do ciclo;
  • Caso se esqueça de tomar a pílula com frequência, é preferível falar com o seu médico, pois existem métodos alternativos e de efeito mais prolongado e que não exigem uma toma diária (dispositivos intrauterinos, implantes subcutâneos, anel vaginal, injetáveis, etc.);
  • Existem outros medicamentos que podem afetar o efeito contracetivo da pílula combinada como por exemplo o topiramato e a carbamazepina, ambos usados no controlo da epilepsia e o primeiro também na prevenção de enxaqueca;
  • O contracetivo não protege contra doenças sexualmente transmissíveis

Calendário menstrual e conhecimento do ciclo

Aconselho a todas as mulheres em idade fértil a usarem um calendário menstrual. Existem várias aplicações para o telemóvel. Este calendário não só ajuda a mulher a conhecer o seu ciclo e a reconhecer irregularidades, como também ajuda o médico em determinadas situações clínicas. Situações como a anemia, onde a possível causa é a menstruação excessiva, são um exemplo onde o conhecimento sobre o ciclo importa (saber quantos dias de menstruação tem, quantos penso usa por dia, se tem perdas fora do período normal, etc.)

Se gostou deste conteúdo, partilhe, subscreva a nossa newsletter e siga as páginas do Facebook e Instagram.

Para os mais aventureiros, segue-se um artigo sobre esta matéria: https://www.ajog.org/article/S0002-9378(17)30845-1/fulltext

A informação constante neste blogue deve, sempre que necessário, ser abordada com o seu médico e está sujeita a atualizações a que os leitores devem estar atentos.

PARTILHAR

Posso ajudar a manter-se atualizado sobre a saúde.

Receba gratuitamente dicas e conselhos de um médico de família

Navegação

Scroll to Top