Como escolher o protetor solar

“Qual o protetor solar que devo escolher?”

Escolher o protetor solar tem algumas regras, deve ser usado durante todo o ano e pode ser adquirido a preços acessíveis. Basta saber escolher e saber usar.

Como escolho o protetor solar? 

O protetor solar deve proteger contra raios ultravioleta (UV) tipo A e tipo B, deve ter um fator no mínimo de 30 e ser resistente à água.

Creme, gel ou spray?

Prefira creme ou gel. O spray não é o mais aconselhado na medida em que é mais difícil controlar a quantidade aplicada embora seja mais fácil de aplicar nas crianças. O creme é melhor para peles secas e o gel para zonas mais peludas e couro cabeludo.

Posso usar o protetor do ano passado? 

O protetor solar depois de aberto deve seguir as instruções da embalagem que geralmente tem validade de 9 a 12 meses. Se por ventura o seu protetor solar não tiver data de validade após abertura, considere 3 anos como prazo de utilização após aberto (escreva no frasco a data em que abriu). Ter um frasco aberto há mais de 1 ano significa que possivelmente não o usou na quantidade correta para além de que muitas das vezes o protetor é exposto a altas temperaturas que raduz a sua eficácia.

Fator 10, 20, 30 ou 50? Qual a diferença?

No mínimo o fator 30. Fator 30 protege contra 97% dos raios UV. Os fatores acima protegem pouco mais que 97% sendo que não existem protetores que protejam a 100%. Usar fator 50 não significa que possa estar exposto ao sol mais tempo sem aplicar protetor, deve aplicar com as mesmas regras (ver questão seguinte).

Quantas vezes e quanto devo aplicar?

Aplicar 15 a 30 min antes da exposição solar e a cada 2 horas ou após exposição à água. A quantidade a aplicar em todo o corpo corresponde aproximadamente à da palma da sua mão.

Zonas do corpo que geralmente ficam esquecidas.

Pescoço, orelhas, pés e lábios são zonas do corpo muitas vezes esquecidas e por vezes as mais sensíveis. 

Quanto mais caro o protetor melhor?  

Mais importante que o preço é cumprir os requisitos (mínimo de fator 30, resistente à agua proteção contra raios UV tipo A e tipo B). Não se aconselham os protetores antirrugas, de cor ou perfumados visto que poderão perder o efeito protetor.

Qual o melhor protetor para o bebé?

É totalmente desaconselhada a exposição solar às crianças com menos de 6 meses. As crianças devem obedecer às mesmas regras que os adultos embora pela sua maior sensibilidade devem ser-se mais rigoroso usando roupas adequadas, óculos de sol,  chapéus de abas largas e preferir protetor solar mineral com óxido de zinco ou dióxido de titânio.

Altas temperaturas atraem à exposição solar que com ela deve sempre acompanhar a devida proteção. O protetor solar é uma das principais medidas para além do uso de roupa, chapéu e óculos de sol. Evite as horas críticas (das 12 às 16 horas). Prefira o creme ou gel, escolha o protetor solar com fator no mínimo 30, contra raios UV tipo A e tipo B e resistente à agua. Aplique 15 a 30 minutos antes da exposição solar e a cada 2 horas ou após exposição à água. 

Picado por um inseto? Não aplique uvas nem facas. Saiba o que fazer.

Quem não se lembra de pressionar uma uva com uma faca sobre uma picada de abelha? Esta é daquelas mezinhas que deve abandonar.

Nesta altura do ano são frequentes as picadas de inseto, sejam elas quais forem. Portugal é dos países com menos insetos perigosos pelo que é rara a complicação grave ou mesmo morte provocada por uma picada. Aplicar uma uva ou uma faca e colocar vinagre sobre uma picada é um remédio caseiro habitual das nossas avós. Não o deve fazer sob risco de infetar a zona picada.

As crianças, idosos, doentes imunodeprimidos e pessoas com alergias ou sensibilidade conhecida à picada do inseto têm maior probabilidade de complicações. Se frequentar zonas com muitos insetos, viajar para países quentes ou for suscetível a picadas use um repelente de insetos.

O que fazer se for picado por um inseto? 

  1. se viu o inseto identifique-o, se possível fotografe-o (poderá mostrar ao médico se surgir alguma complicação);
  2. se tiver um ferrão retire-o e lave a zona picada com água corrente e sabão neutro;
  3. aplique gelo com um pano limpo (nunca diretamente) por períodos de 10 minutos várias vezes durante ao dia;
  4. se tiver dor tome um analgésico (paracetamol ou ibuprofeno); 
  5. se tiver comichão tome um antihistamínico (cetirizina, bizantina, hidroxizina, etc.) ou aplique uma pomada de cortisona 2 vezes por dia durante uma semana (ex: hidrocortisona em creme 10mg/g). Evite coçar já que as unhas são uma fonte de contaminação que podem infetar a zona da picada;
  6. Aguarde alguns dias até melhorar por completo.

Quando recorrer ao serviço de urgência após uma picada?

  • Se surgir falta de ar, dificuldade em engolir ou a sua cara começar a inchar;
  • Se começar a sentir fraqueza, náuseas e vómitos, taquicardia (mais de 100 batimentos cardíacos por minuto) ou ficar desorientado.

Devo procurar tomar um antibiótico assim que for picado?

O antibiótico é na maioria das vezes desnecessário, principalmente se adotar as medidas acima referidas. Recorra ao médico se passados alguns dias a zona da picada em vez de melhorar ficar mais vermelha, quente, inchada e com pus ou se surgir febre ou sensação de mal-estar e cansaço. Pode ligar ao CIAV (Centro de Informação Antivenenos) – 808 250 143 – para aconselhamento sobre a atitude a tomar.

Como posso evitar as picadas?

Use roupa clara e mais larga. Evite andar descalço. Use repelente de insetos (à venda nas farmácias e parafarmácias). Se frequentar o campo e zonas com muita vegetação use calçado alto, calças e eventualmente luvas se tiver se usar as mãos. Se pensa viajar para um país tropical lembre-se que é maior a probabilidade de ser picado por isso adote estas medidas.

As picadas de inseto são frequentes mas raramente perigosas em Portugal. Se for picado aconselha-se identificar o inseto (se possível), tirar o ferrão, passar a zona picada por água corrente, aplicar gelo, controlar a dor e evitar coçar. Recorra a um serviço de urgência se sentir falta de ar, dificuldade em engolir, a sua cara começar a inchar ou caso se sinta mal depois da picada. Se passado alguns dias estiver a piorar recorra a uma consulta médica. O antibiótico é muitas vezes desnecessário. Proteger a pele com roupa e repelente são medidas para evitar picadas.